Resenha: Amy&Matthew - Cammie McGovern



Autor: Cammie McGovern
Editora:Galera Record
Páginas: 336
Lançamento: 2015
Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos. Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa. À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava, ou sabe definir, eles percebem que falam tudo um para o outro... Exceto o que mais importa.
Muitas pessoas não gostam desse livro, mas eu não consigo entender o porquê... Eu adorei!

É um livro leve e fácil de ler, e traz ensinamentos que mudaram a minha forma de pensar.

Amy tem 17 anos e sofre de uma doença chamada Hemiplegia, que paralisa um lado do corpo, e que afetou a sua fala. Para se comunicar ela usa um computador portátil chamado Pathway, onde ela digita e o computador fala, muito parecido com Stephen Hawking.

Ela nunca teve amigos da idade dela, apenas adultos que a acompanhavam por causa da doença. Mas agora no último ano do ensino médio ela deseja mudar a situação e pede a mãe para fazer uma seleção para que seus colegas de sala se tornassem seus novos monitores. A princípio achei essa ideia um pouco triste porque ela estaria quase "comprando" as amizades, pois sua mãe pagaria os estudantes para ajudá-la.

Matthew é um garoto tímido que também tem uma doença chamada TOC, ele lava as mãos toda hora, confere fechaduras e têm mania de contar tudo o que vê. Ao longo do livro, vamos descobrindo o quão ruim é ser escravo da própria mente, ele também escuta vozes que não são agradáveis. A mãe tenta ajudar, mas ele se nega a buscar ajuda profissional.
Até que o destino dos dois se cruza, e por incrível que pareça quando Matthew está com Amy as vozes em sua cabeça somem, e ela pela primeira vez sente que pode confiar em alguém e experimentar os sabores de uma amizade.

Juntos eles vivem muitas coisas boas e ruins, e acabam criando um laço muito forte. Entre encontros e desencontros, o amor pelo outro prevalece. A mensagem desse livro é muito bonita, e como eu disse no começo, me fez mudar alguns pensamentos que eu tinha. 

Pessoas com deficiências, seja ela qual for, são iguais a todo mundo, se emocionam, se apaixonam, choram, riem, e vivem a vida além de suas delimitações. E percebi que elas não querem serem olhadas com sentimento de dó ou pena, mas sim com o olhar de igualdade. Recomendo muito esse livro!

2 comentários:

  1. Gostei da história desse livro!
    Dois jovens,com problemas diferentes,mas que se tornam "iguais" nas aflições e preconceitos.

    E o que mais gostei em sua postagem,foi quando lá no final de seus comentários,quando diz que os deficientes não desejam pena de ninguém.
    O que eles realmente querem,é respeito e igualdade.

    Boa dica! 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado. Obrigada sua linda! Bjsss

      Excluir

A Blogueira



Mari, ariana, apaixonada por livros, séries, filmes e maquiagem. Pretende cursar Relações Públicas e viajar o mundo inteiro. Quer saber mais? Acompanhe nas redes sociais...

Acompanhe

Fanpage

Leitores

Último Vídeo

Siga por E-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Tutoriais de Beleza

PróximasResenhas

Todos os Posts