Crítica | Black Mirror: S02E02 - White Bear


Olá leitores! Tudo bem?

Preparados para mais algumas reflexões loucas? ~haha~


Com certeza, um dos episódios mais ~pam~ da série, até agora estou absorvendo, e olha que faz algum tempinho que já assisti. 

Começamos o episódio com uma mulher desconhecida. Ela não se lembra de quem é e nem de onde veio. Em sua casa ela encontra uma fotografia onde supostamente ela está com seu marido e sua filha. E na TV um símbolo estranho que ela não entende.

Ela sai para pedir ajuda, mas todas as pessoas que encontra estão fotografando-a ou filmando-a, concentrados naquilo, sem dar nenhuma atenção para os pedidos de ajuda dela.


Até aí na série, vemos uma sociedade alienada pela tecnologia que vive através de uma tela. Quantas pessoas filmam os shows e concertos onde estão ao invés de realmente assisti-los?

Continuemos... Além de ninguém querer ajudá-la, surge pessoas mascaradas para persegui-la, sem motivo aparente nenhum. 

Ela encontra outros supostos fugitivos e se junta a eles. Descobre então que aquele símbolo estranho na TV tinha causado uma espécie de lavagem cerebral nas pessoas, e os que não foram afetados por ela eram perseguidos. Juntos eles vão até a central onde tudo acontece, White Bear, para tentar parar com tudo.

Pronto, agora se preparem para a reviravolta que ninguém esperava. Alerta de Spoilers (pule os próximos dois parágrafos)!


Quando estão prestes a desligar o dispositivo e parar com tudo, nos é revelado o que realmente estava acontecendo ali.

Era tudo um espetáculo, a protagonista é uma condenada por assassinato de uma criança, aquela que ela achava que fosse sua filha no começo do episódio, e como punição ela passaria por aquele 'teatro' todos os dias da sua vida. Bizarro né? Mais bizarro ainda são os 'atores' que participam disso e as pessoas que estão lá todos os dias para assisti-la sofrendo. Depois do final do show, a memória dela é apagada para no próximo dia começar de novo.


Bom, chega de spoilers. A crítica que eu consegui tirar desse episódio foi: a justiça com as próprias mãos se tornou um espetáculo. 

A justiça com as próprias mãos, no nosso país principalmente, é um assunto que preocupa, as pessoas estão tão desacreditadas da justiça brasileira que acham que têm o direito e poder de julgar e culpabilizar alguém por algo (isso acontece muito nesses países do Oriente Médio, onde muitos são apedrejados e etc). Triste é ver que as vezes pessoas inocentes são acusadas sem provas e passam por isso. Não é difícil achar notícias assim pelos jornais...

E mais uma vez, a tecnologia no meio disso tudo. Tudo se torna um espetáculo por trás das telas, o sofrimento alheio foi banalizado. As pessoas praticamente respiram através de câmeras celulares. É muito mais importante filmar um acidente de trânsito do que realmente buscar ajudar de alguma forma... Triste.

Bem pessoal, é isso que conseguir refletir sobre episódio. Se vocês já assistiram me contem o acharam!

Um comentário:

  1. A sociedade sempre teve o seu lado cruel.Basta ver como notícias sensacionalistas e brutais chamam à nossa atenção.
    Todos ligados ali. Em cada nova novidade.

    Bem,a protagonista sofre demais!
    Mas quem tem prazer em assistir o seu sofrimento,é tão cruel quanto ela.

    Realmente é um assunto para se refletir.

    ResponderExcluir

A Blogueira



Mari, ariana, apaixonada por livros, séries, filmes e maquiagem. Pretende cursar Relações Públicas e viajar o mundo inteiro. Quer saber mais? Acompanhe nas redes sociais...

Acompanhe

Fanpage

Leitores

Último Vídeo

Siga por E-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Tutoriais de Beleza

PróximasResenhas

Todos os Posts